= Desejo de um filho =

Quando ao fim do dia

Tecido de cansaço

Eu queria

Papá, que o jornal,

Aquele que devoras cheio d`interesse,

E trazes debaixo do braço

(Fala do teu clube

Logo na primeira página!)

Ficasse pousado no sofá

Onde te sentas,

E lá

Me ouvisses.

Te dissesse que em Inglês

As coisas vão difíceis.

Na Matemática e na Biologia

Tenho tantos porquês

Sem resposta.

Que a Ritinha me riscou

A vermelho o meu caderno...

(Sabes que o Pedro me beliscou

ontem o traseiro?)

Papá, por que não me sentas

No teu colo

E não me deixas um beijo no cabelo?

Bem sei que o dia foi difícil...

Que nem tudo te correu

Como querias

E merecias.

Mas já reparaste, Papá,

Que o que de mais precioso tens

Sou eu?

Mais importante do que o futebol

É dares-me a mão,

Correres comigo ao pôr do sol

 Nos últimos minutos do dia

Antes que a noite caia

Sobre mim

E deixe de ver, talvez para sempre,

Que o céu é azul

A relva da cor do teu clube...

Bem sei que queres o meu melhor.

Mas, o pior,

Aquilo que me apoquenta,

É , temo-o tanto!..., se o jornal

Continua a ser o principal

Centro do teu lazer

E não tens o prazer

De me aturares.

De me escutares.

Não receias que um dia

Me arraste pelas ruas d`amargura,

Pesadamente,

Até a um fim que não desejas

(O mal nem sempre dura!)?

Ainda há pouco lamentaste

Quando tal sucedeu

Ao filho do teu melhor amigo

E que tanto se parece comigo!...

Bem sei, bem sei

Como é difícil ser Pai...

Mas, também não te peço muito:

Um beijo.

Um pouco de atenção.

Sentir o teu coração!

 

Carlos Aguiar Gomes

Presidente da Associação Famílias

 WB00789_.gif (161 bytes)