Aceprensa - 115/03 - 15 Set 03
Ter filhos antes é o melhor meio para evitar a infertilidade

A idade avançada e as doenças de transmissão sexual são as principais causas de infertilidade. 
 
As duas principais causas de infertilidade - a idade avançada e as doenças de transmissão sexual - são evitáveis, se as mulheres começarem a ter filhos antes e mantiverem uma relação monógama, declarou o doutor Gedis Grudzinskas, director do Brige Center, clínica de Londres para o tratamento da infertilidade. "As mulheres prudentes deveriam encontrar um ponto de equilíbrio entre a sua carreira profissional e o ter filhos antes", declarou ao diário escocês Sunday Herald (3-08-2003).

Enquanto os pacientes esperam que as técnicas de reprodução artificial tenham cada vez mais êxito, Grudzinskas considera importante que "a sociedade enfrente o facto de a infertilidade se poder prevenir. Não quero parecer brusco, mas se as mulheres escolhem determinadas opções vitais, devem ser conscientes das suas consequências". "Supõem-se que se a mulher se concentra na sua carreira e atrasa a formação de uma família não haverá consequências. Mas há. Se observarmos o que acontecia dantes, as mulheres casavam-se mais novas, a sua relação era só com um homem e tinham filhos antes".

Na Europa cada vez é mais comum o atraso da maternidade. Na Escócia, as últimas estatísiticas indicam que no ano passado, pela primeira vez, o número de mulheres de mais de 30 anos que tiveram filhos foi superior ao das mulheres que tiveram descendência na segunda metade dos vinte anos. Também em Espanha, segundo estatísticas correspondentes ao ano passado, seis em cada dez mulheres que dão à luz têm mais de 30 anos.

Investigações publicadas no ano passado na revista Human Reproduction indicam que a fertilidade começa a declinar ao final da primeira vintena de anos (antes do que se pensava), e que a do homem também decresce com a idade. "A idade complica qualquer outro problema e reduz as perspectivas de êxito de um tratamento de FIV", disse Grudzinskas. "Se a mulher está nos seus trinta anos e o seu companheiro tem um baixo número de espermatozóides, os problemas somam-se".

A doenças sexualmente transmissíveis são a segunda causa de infertilidade, que Grudzinskas sublinhou que pode ser evitada. A mais perigosa para a infertilidade feminina é a clamidia, que afecta uma em cada dez mulheres jovens sexualmente activas. A gonorreia, cujo número de casos quase duplicou nos últimos seis anos, pode causar também problemas de infertilidade se não é diagnosticada a tempo.

Enquanto existe um alto grau de conhecimento do controle de natalidade entre as mulheres, muitas ignoram a simples relação entre a idade e a fertilidade. Por isso, Sheena Young, directora do Child Infertility Support Network da Escócia, declarava a esse respeito: "Necessitamos de educar as mulheres para que sejam conscientes de que se esperam até ao final da trintena de anos para ter o seu primeiro filho estão a correr o risco de se tornarem inférteis".

WB00789_1.gif (161 bytes)