Público

Câmara Contra Encerramento da Maternidade
Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2002

F.R.

A possibilidade admitida pelo Governo de, a médio prazo, vir a encerrar a Maternidade Alfredo da Costa merece o repúdio da Câmara de Lisboa, que ontem aprovou por unanimidade uma moção defendendo a manutenção deste equipamento de saúde, "imprescindível aos objectivos de rejuvenescimento da cidade".

Na semana passada, o ministro da Saúde anunciou que a manutenção da maternidade iria ser reequacionada, uma vez que "50 por cento dos partos efectuados" aqui e na Estefânia "são de pessoas de Odivelas e Loures". Seis anos foi o prazo dado pelo governante para uma tomada de decisão. A moção ontem apresentada pelo PS considera o discurso do ministro "economicista e completamente desenquadrado das necessidades e interesses de Lisboa", uma vez que "um dos principais objectivos do executivo municipal é a revitalização e o rejuvenescimento da cidade, e em particular, e da sua área central".

Sublinha ainda que "a queda demográfica verificada nas duas últimas décadas foi já invertida em 1999", pelo que "nada indica que Lisboa possa prescindir de um equipamento com o historial de serviço público e a qualidade" deste.