Público - 04 Ago 05

 

Mulher em morte cerebral dá à luz e morre nos EUA

Bebé de 812 gramas encontra-se bem.
Mãe acabou por ser ontem desligada da máquina

Uma mulher em morte cerebral deu anteontem à luz uma rapariga num hospital norte-americano, após os médicos a terem mantido ligada às máquinas durante três meses para garantir ao bebé hipótese de sobreviver. Ontem, o suporte básico de vida da mãe da criança foi desligado.
O bebé nasceu por cesariana depois de, em Julho, ter ultrapassado as 24 semanas de gestação, o limite considerado mínimo pelos médicos para a sua sobrevivência (40 semanas é o período normal de uma gestação). Anne Catherine Torres pesava 812 gramas e media 34,3 centímetros. O seu nascimento "foi um sucesso", declarou a direcção do hospital Central da Virginia, num comunicado. A criança está internada nos cuidados intensivos neonatais.
A mãe, Susan Torres, de 26 anos perdeu a consciência no início de Maio na sequência de um acidente vascular provocado por um cancro no cérebro. Os médicos decretaram-lhe morte cerebral.
Ontem, chegou a notícia de que os médicos tinham desligado a máquina a que Susan estava ligada há quase três meses. O marido, Jason Torres, havia abandonado o emprego e vivia desde o mês de Maio no hospital, dormindo numa cadeira ao lado da cama da mulher. O casal tem um outro filho, um rapaz de dois anos, que está em casa dos avós.
O drama da família Torres tem emocinoado a América. Foi criado um site na Internet para angariar fundos que permitam à família fazer face às pesadas contas do hospital onde Susan estava internada.
Há duas semanas, pessoas de todo o mundo tinham contribuído com 400 mil dólares (325 mil euros) para garantir que Torres tivesse dinheiro para conseguir manter a mulher internada. A família revelou que as contas hospitalares não cobertas pelo seguro ascendem a milhares de dólares por semana. Público/AP

 WB00789_.gif (161 bytes)