A terapêutica hormonal de substituição não reduz o risco de doença coronária

A terapêutica hormonal de substituição (THS) não reduz o risco de desenvolver doença cardíaca em mulheres pos menopáusicas, segundo um estudo que fez a revisão de ensaios clínicos dos últimos 30 anos, publicado no “Annals of Internal Medicine” (
Annals of Internal Medicine 2002;137:273-284.)

Estes resultados vêm na sequência da suspensão de um grande ensaio, no mês passado, devido à evidência de que os riscos da THS ultrapassam os benefícios, no longo prazo. Este novo estudo evidencia que a THS não aumenta, nem diminui, o risco de patologia coronária. Em estudos anteriores parecia que a THS reduzia o risco de sofrer desta patologias, mas numa revisão dos casos parece que outras variáveis poderão ter sido responsáveis por esse efeito, nomeadamente o nível económico e social das mulheres recrutadas para o ensaio.

Neste estudo os investigadores do Veterans Affair Medical Center de Portland (Estados Unidos) incluíram 20 estudos de observação nos quais se relacionava este tratamento com a patologia cardíaca e arterial. Foram recolhidos dados sobre a idade das mulheres, tabaquismo, exercício físico, níveis de colesterol, história familiar de patologia cardíaca, estatuto socio-económico, pressão arterial e existência de diabetes mellitus. 21/08/2002 (http://db.doyma.es/cgi-bin/wdbcgi.exe/doyma/home.home) 

WB00789_2.gif (161 bytes)