Governo quer diminuir demora na adopção das crianças abandonadas -Comunicado da APFN

A APFN saúda a constituição de um grupo de trabalho com o objectivo de reduzir as incompreensíveis dificuldades associadas aos processos de adopção de crianças abandonadas. Pela constituição desta comissão, a APFN tem a certeza de que será produzido um excelente trabalho, com benefícios para as crianças, para os casais adoptantes e sociedade em geral.

A APFN segue o ditado popular "parir é dor, criar é amor!". Por esse motivo, é sempre com enorme alegria que acolhe, como sócios, casais que têm três ou mais filhos, independentemente de serem biológicos, adoptados, perfilhados ou, simplesmente, acolhidos, lutando, por igual, para que os casais não sejam penalizados (como são actualmente) por, generosamente, acolherem, amarem e educarem no seu seio uma boa parte do futuro do país.

A APFN deseja que os resultados deste grupo de trabalho sejam rapidamente postos em prática, em total contraste com tantos trabalhos de protecção da família já produzidos, e que, teimosamente, são mantidos numa das milhares de gavetas existentes nos diversos ministérios.
 

APFN - Associação Portuguesa de Famílias Numerosas