Associação Famílias - 1 Jun 03

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA
01  de  Junho
 

A sociedade portuguesa está profundamente abalada com a série de escândalos que têm abalado o país, sobretudo os que se referem a ofensas graves e extremamente dolorosas exercidas sobre crianças com percursos de vida já de si bastante traumatizantes. Julgamos, infelizmente, que o que tem vindo a ser mediatizado não será mais do que uma porta pequenina de um "iceberg" de negligências, abandonos e violências exercidas intra e extra familiarmente sobre as crianças.

A Associação Famílias está preocupada com estes factos. Também não pode deixar de assinalar, neste dia particularmente consagrado à reflexão por parte dos adultos, algumas agressões aos direitos fundamentais da pessoa humana criança.
 
Destacaremos, entre outros:
- um crescente e significativo número de crianças a quem é negado o direito a nascer e crescer numa família que tenha como referentes Mãe e Pai, mães e pais que o sejam para sempre;
- um significativo alheamento dos progenitores no processo educativo extra familiar, nomeadamente uma falta de empenhamento positivo e construtivo na articulação com a escola e outros meios de crescimento humano;
- uma demissão generalizada da autoridade parental que tem "embarcado" numa forte permissividade que chega a ser sinónimo de negligência e abandono;
- posturas acríticas parentais face a uma galopante onda de um consumismo desenfreado e de múltiplas formas de violência a que as crianças estão expostas diariamente; 
- falta de projectos educativos estruturados em valores essenciais e naturais respeitadores de desenvolvimento harmonioso de todas as crianças, sem esquecer os valores espirituais e um empobrecimento das relações verticais e horizontais familiares.

Urge, assim, e aproveitando a efeméride , alertar os pais para a necessidade de se consciencializarem para o facto de serem "os primeiros, principais e insubstituíveis " educadores dos seus filhos e de que estes devem ser a sua prioridade. Por isso, as famílias devem ser "abrigo e refúgio" onde  o Amor, a Tolerância, a capacidade de Diálogo e de Escuta nunca devem estar ausentes. De facto, as crianças têm direito a uma atmosfera de afecto e segurança, mais do que a bens supérfluos que, muitas vezes, não são mais do que pobres remedeios e vis estratégias que procuram "comprar" afectos.

Neste  DIA MUNDIAL DA CRIANÇA , a Associação Famílias apela ao cumprimento integral de todos os direitos das crianças que logicamente estão inseridos nos direitos da Família. Por isso, apelamos aos decisores políticos para que ousem apoiar e promover a Família, célula básica da sociedade, meio natural para o crescimento e desenvolvimento das crianças. Aos Pais - Pai e Mãe - que eventualmente venham a ler esta mensagem, queremos incentivar a uma maior assunção das suas responsabilidades parentais e a tornarem-se mais exigentes consigo próprios e com todos os que directa ou indirectamente dificultam ou não apoiam a Família, onde naturalmente devem nascer e crescer todas as crianças.

Às crianças vítimas de negligência, abandono, violência ou maus-tratos, queremos dizer-lhes que estamos com elas e que podem acreditar que não nos calaremos face às agressões de que são vítimas.

Associação Famílias
Braga.2003.Junho.01 

 WB00789_.gif (161 bytes)