Movimento Juntos Pela Vida - 21 Jan 04

COMUNICADO

Nas últimas semanas algumas forças políticas manifestaram mais uma vez o seu empenho na promoção da liberalização do aborto. A esse propósito gostávamos de deixar os seguintes comentários:

1. O movimento Juntos pela Vida opõe-se inteiramente à liberalização do aborto, violação directa do direito à vida da criança não nascida. Mais, opõe-se ao aborto enquanto agressão à própria mãe que o realiza, dados os laços inquebráveis que unem sempre e em qualquer circunstância mãe e filho.

2. O movimento Juntos pela Vida manifesta a sua serenidade perante a discussão e as votações que serão realizadas a 3 de Março na Assembleia da República, atendendo ao compromisso de governo entre o Partido Social Democrata e o Partido Popular, constantemente reafirmado pelos próprios.

3. O movimento Juntos pela Vida e demais movimentos empenhados na defesa da vida dedicaram os últimos anos a um trabalho sério e constantante de promoção da dignidade da Vida e da Pessoa Humana e de apoio a grávidas e famílias com dificuldades, e a bebés abandonados ou desamparados. Esse foi o nosso compromisso em Junho de 1998 e continua a ser essa a solução para as causas do aborto.

4. O movimento Juntos pela Vida não pode deixar de manifestar a sua preocupação perante mais uma tentativa de ocultar a realidade com manipulações de linguagem. Trata-se da tentativa de diferenciar despenalização de descriminalização, como se as dois termos não fossem equivalentes.

5. O movimento Juntos pela Vida declaram mais uma vez o seu compromisso em dar todo o apoio às mulheres, mães e famílias que dele precisem, para que em Portugal não se possa dizer "eu abortei pois não tinha outra solução".

Lisboa, 21 de Janeiro de 2004

http://go.to/juntospelavida

WB00789_.gif (161 bytes)