Nótulas  soltas da minha agenda...

Carlos Aguiar Gomes

 

1. Pessoa amiga ofereceu-me um livro cujo título e tema me permito aqui referenciar. Brevemente. Já conhecia Enrique Rojas do célebre livro: “O Homem Light”. Deste gostei, e muito, pelas perspectivas positivas que dá para os homens e mulheres de hoje. Não conhecia, e tenho imensa pena, de não o conhecer antes, “Remédios para o Desamor”. Numa sociedade que cultiva, aplaude e promove as relações efémeras, tipo descartável, este livro de Enrique Rojas, psiquiatra de profissão, é uma lufada contra a corrente. Provavelmente não será um livro “politicamente correcto”. Mas, o que é “politicamente correcto” nem sempre é o melhor. “Remédios para o Desamor” deveria fazer parte dos livros essenciais de uma biblioteca de quem se preocupa e ocupa com as questões da família. Aqui fica esta nótula.

 

2. “A desigualdade de oportunidades reflectida na diferença radical de propinas entre  as Universidades públicas e as outras que prestam um serviço real ao País, não poderá perdurar num Estado de Direito que se quer cada vez mais democrático.” (D.Jorge Ortiga, no dia da UCL).

 

De facto a Educação é um dos raros sectores da sociedade portuguesa que ainda fere a liberdade e o pluralismo. A actual situação, tenho-o dito inúmeras vezes, é um anacronismo. É algo que resta de uma república socialista e laica, centralizadora. Nunca é demasiado dizer, também, que os Pais e as suas associações que temos não se ouvem. É pena.

 

3. A propósito dos últimos grandes acontecimentos mediatizados até à exaustão, o caso de prováveis pedófilos estarem preventivamente  presos, deve merecer séria atenção. Não se estará a cair numa sociedade de julgamentos populares que parece querer substituir a justiça?

 

Receio bem que, por este caminho, não tardará a que a população (às vezes constituída por "notáveis"!) venha exigir o fim dos tribunais e dos juízes.

 

4.Onde estão as vozes (incómodas!) que se não escutam nem se vêm agir contra o mais baixo nível de alguns programas das televisões, agressores da dignidade da pessoa humana e promotores de   contra-valores?

 

5.     Bush  irá mesmo provocar a petroguerra ou guerra por causa do petróleo?

 

Se se vier a concretizar tal iniciativa, os EUA tornar-se-ão ainda mais numa petrodemocracia.

 

Reflicto sobre as dissonâncias na U.E. e dou comigo a pensar por onde andará a Europa . Se é que existe!

 

6.     Presidência europeia? Não, muito obrigado! Muito menos bicéfala. Muito menos ainda sob a batuta da França e da Alemanha. Os pequenos países que se cuidem.

 

7.     Impressiona-me e revolta-me o número crescente de empresas estrangeiras que estão a ser deslocalizadas, lançando no desemprego milhares de pessoas, prejudicando tantas famílias! Que raio de economia é esta que não tem em conta as pessoas como prioridade social? Sinto-me solidário com as vítimas de tanto sofrimento e injustiça. Não, não é por aí que vamos rumo à justiça social.